Deixar a cidade mais verde é um dos objetivos da ONG Floresta Urbana, que tem sede no Sumaré. Além de montar jardins verticais, ela criou uma caçamba verde.

A semente da ONG foi plantada em 2008 pelo arquiteto e engenheiro Jörg Spangenberg que, na defesa de seu doutorado, comprovou a importância da vegetação nas áreas urbanas. A publicitária Thelma Spangenberg, esposa de Jörg, que “antes não enxergava o verde”, acabou se interessando pelo tema e colocou as mãos à obra.

O trabalho deles deve ser voltado para as áreas onde não existe vegetação. “Queremos enverdecer os espaços onde o verde não existe”, diz Thelma, presidente da ONG.

Além do casal Spangenberg, a Floresta Urbana tem, entre seus integrantes, paisagistas, arquitetos, publicitários, estudantes. “Temos um grupo de voluntários que é essencial para o trabalho de conscientização”, diz Thelma. Uma delas é a estudante de arquitetura Camila Valladão, que mora no bairro: “Estou na ONG desde janeiro deste ano e já participei de várias ações, como os jardins verticais e a nossa estufa.”

Parcerias com empresas também são fundamentais. No metrô Sumaré, na rampa de acesso à estação, a ONG, com apoio do Metrô e da Alston, instalou em dezembro do ano passado um dos dois jardins verticais com plantas da nossa flora, que foram plantadas em garrafas pets. O outro jardim está no número 2.326, na entrada da Fundação Oncocentro de São Paulo, também parceira da ONG e que, na área anexa, mantém um pequeno viveiro de plantas.

A caçamba verde é uma das mais recentes ações da ONG. São várias as plantas que estão na caçamba que esteve estacionada por algumas semanas defronte à FOSP. “Com a caçamba, as pessoas têm a oportunidade de aprender mais sobre sustentabilidade”, lembra Thelma.

Para saber mais e participar das ações, basta acessar o site ou a página do Facebook da ONG.
www.floresta-urbana.org

www.facebook.com/floresta urbana

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA