Os editorais de moda insistem em valorizar o corpo magérrimo em que, teoricamente, qualquer roupa cai bem. Mas a verdade é que, para realçar um decote V ou canoa, nada se compara a um colo farto. “Trabalhamos com mulheres reais e valorizamos o que ela tem de mais bonito. E quem é diferenciado no tamanho da roupa tem de ter conforto”, enfatiza Simone Spampinato Ribeiro. “Algumas mulheres não gostam muito de roupa sem manga. Nós sempre temos acessórios adequados que vão dar uma camuflada nesse detalhe. Temos um modelo exclusivo de pelerine em cascata, que se torna uma manga”, completa.

Junto com as irmãs Vanya e Mônica Regina, ela é responsável, há 25 anos, pela loja Spampy, especializada em roupas de tamanhos grandes, que vão dos números 44 ao 58. “Se necessário, fazemos tamanhos 60 e 62, tenho quem me produz tamanhos especiais”. Em uma loja butique com espaço amplo, decoração clara e provadores largos, elas mesmas atendem a clientela e, com atenção, traduzem o desejo de cada uma para o evento específico.

Na linha de festas, Simone diz que a moda está mais versátil. “Temos o casual, o social e o habillé, que é considerado longo, mas hoje em dia já tem uma outra linha que traz o habillé como longuete e mais curto também”. Ela destaca que algumas roupas podem se transformar do esporte fino para o social, conforme o acessório usado. “Se você joga uma bolsa ou um sapato metalizado, ouro velho, dourado; joga um cristal, strass ou brilhante, a roupa se transforma em social. E você pode trabalhar diferentes opções de modelos com tecidos mais nobres, a exemplo da seda, a renda, o tafetá e o crepe”.

Para uma ocasião como casamento, formatura e réveillon, Simone relata que a tendência de tecido continua sendo a renda com diferenciais de forro. “Nós recebemos um vestido de renda amarelo, e você pode realçá-la com diferentes cores de forro, como o pink, amarelo, preto ou branco”. Para o fim de ano, as pessoas têm escolhido o azul. “É a cor da paz, tranquilidade e saúde”.

A empresária destaca ainda os paetês: “Antigamente o paetê vinha só dourado ou preto. Hoje tem tons de bronze, dourado, prata, degradê em branco e preto”. Simone ensina que jogar uma peça básica com outra mais nobre sempre dá certo. Como exemplo, uma pantalona em crepe preta e camisa rebordada com pérolas. Simone destaca ainda os bordados na renda em relevo, o richelieu e os brocados. “É uma forte tendência”. 

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA